domingo, abril 29, 2007

"A VIDA É UMA PEÇA DE TEATRO QUE NÃO PERMITE ENSAIOS. POR ISSO, CANTE, CHORE, DANCE, RIA E VIVA INTENSAMENTE ANTES QUE A CORTINA SE FECHE E A PEÇA TERMINE SEM APLAUSOS."

Charlie Chaplin
Dizem que havia um cego sentado numa calçada de Paris com um boné a seus pés e um pedaço de madeira que, escrito com giz branco, dizia:"Por favor, ajude-me, sou cego".Um publicitário, da área de criação, que passava em frente a ele, parou e viu umas poucas de moedas no boné. Sem pedir licença, pegou no cartaz, virou-o, pegou no giz e escreveu outro anúncio.Voltou a colocar o pedaço de madeira aos pés do cego e foi-se embora.Pela tarde, o publicitário voltou a passar em frente ao cego que pedia esmola. Agora, o seu boné estava cheio de notas e moedas.O cego reconheceu as pisadas e perguntou se havia sido ele quem reescreveu o seu cartaz, sobretudo querendo saber o que havia escrito ali.O publicitário respondeu:"Nada que não esteja de acordo com o seu anúncio, mas com outras palavras".Sorriu e continuou seu caminho. O cego nunca soube, mas o seu novo cartaz dizia:

"Hoje é Primavera em Paris, e eu não posso vê-la".
Mudar a estratégia quando nada nos acontece... pode trazer novas perspectivas.

A liberdade... de escolha

"Dispomos de todas as possibilidades, da mais absoluta liberdade de escolha. Como num livro, onde cada letra permanece para sempre na página, a nossa consciência tem o direito de decidir o que quer ler e o que prefere deixar de parte." (Richard Bach)

Via Sarrabiscos

quarta-feira, abril 25, 2007


25 de Abril de 1974


A Canção «Grândola Vila Morena», escrita e cantada por José Afonso, foi a senha para que o Movimento das Forças Armadas avançasse para a revolução dos cravos na madrugada de 25 de Abril de 1974.


Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade


Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena


Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade


Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena

À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade.


terça-feira, abril 24, 2007

segunda-feira, abril 23, 2007


DIA MUNDIAL DO LIVRO


O "Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor" é comemorado, desde 1996 e por decisão da UNESCO, a 23 de Abril, dia de São Jorge. Esta data foi escolhida para honrar a velha tradição catalã segundo a qual, neste dia, os cavaleiros oferecem às suas damas UMA ROSA VERMELHA DE SÃO JORGE (Saint Jordi) e recebem em troca, UM LIVRO. Em simultâneo, é prestada homenagem à obra de grandes escritores, como Shakespeare e Cervantes, falecidos em 1616, exactamente a 23 de Abril.


Partilhar livros e flores, nesta primavera, é prolongar uma longa cadeia de alegria e cultura, de saber e paixão.


Ler é bom.

Ler é importante.

Ler engrandece-nos.

Ler enriquece-nos.

Ler é viajar.

Ler é sonhar.

Ler é... viver mais e melhor.


"Quem gosta de ler, nunca está sozinho."

Pintura: "Livros"- Van Gogh

domingo, abril 22, 2007


"Silenciar a tagarelice que temos cá dentro é essencial"

desconheço o autor













Dia Mundial da Terra



O Dia da Terra foi criado em 1970, pelo Senador norte-americano Gaylord Nelson, que convocou o primeiro protesto nacional contra a poluição, protesto esse coordenado a nível nacional por Denis Hayes. Esse dia conduziu à criação da Agência de Protecção Ambiental dos Estados Unidos (EPA).

A partir de 1990, o dia 22 de Abril foi adoptado mundialmente como o Dia da Terra, dando um grande impulso aos esforços de reciclagem a nível mundial e ajudando a preparar o caminho para a Cimeira do Rio(1992).

Actualmente, uma organização internacional, a Rede Dia da Terra coordena eventos e actividades a nível mundial que celebram este dia.


Cátia Rosas
Departamento Técnico da CONFAGRI

------------------------------------------------------------------------------------------------------



Sete pecados da insustentabilidade do desenvolvimento em Portugal



No Dia da Terra, a associação Quercus identifica o que considera serem os maiores problemas de desenvolvimento sustentável que Portugal apresenta, alertando para as principais questões de fundo na área do ambiente que afectam o nosso País.


Clique para saber mais no título


Mais um Domingo...







sábado, abril 21, 2007



Workshop(I) - Aguarela



21 de Abril de 1971




Porque hoje é o teu dia...


Parabéns e um beijo.


foto retirada da net



OLHAR


foto original de Blog Violeta

sexta-feira, abril 20, 2007



Retirado daqui





Não há acasos!

"Quando alguém se cruza no nosso caminho, traz sempre uma mensagem para nós. Encontros fortuitos são coisa que não existe. Mas o modo como respondemos a esses encontros determina se estamos à altura de recebermos a mensagem"

James Redfield in "A Profecia Celestina"

quinta-feira, abril 19, 2007


O resultado do meu mais recente hobby





Que tal?

Modéstia à parte, eu adoro!

:)))


quarta-feira, abril 18, 2007


Um novo blog...

http://luadeprendas.blogs.sapo.pt/

... a visitar

tem coisas giríssimas :)

terça-feira, abril 17, 2007


"Vivíamos fascinados um pelo outro e pelo facto de conversarmos. Apercebi-me agora de que a nossa relação fora sempre platónica."

James Redfield in " A Profecia Celestina"


(...de mim para mim...)
Red Square


O astrónomo australiano Peter Tuthill descobriu uma nebulosa bipolar chamada «Red Square» (quadrado vermelho).


segunda-feira, abril 16, 2007


Arturo Pérez-Reverte


o autor de ficção espanhol que mais vende



Foi repórter de guerra durante mais de duas décadas.


A sua última obra " O Pintor de Batalhas" foi editada recentemente em Portugal.


Afirma que " o homem é o animal mais cruel que existe."



Classifica este seu romance como " um romance sobre o horror, sobre a incapacidade do ser humano para enfrentar o horror no mundo actual". E, é-o. Gosto muito do autor e este é , de facto, um romance diferente daqueles a que nos tinha acostumado. Ficamos chocados, sentimos perfeitamente o horror e o sofrimento. Alerta-nos ( porque, infelizmente, nos vamos esquecendo) para o horror e o terror que, malogradamente, se vive em muitas partes do mundo ( neste momento em que escrevo e neste outro em que me lêem). Faz-nos sentir verdadeiramente revoltados e com um sentimento de impotência contra a estupidez do ser humano.


Arturo Pérez-Reverte já havia abordado o tema da guerra em " Território Comanche " ( curiosamente, o primeiro livro que li dele), mas não se tratava de ficção.


Acerca deste seu romance diz: "Os romances são sempre ficção, imaginação. Mas este seria impossível sem a minha biografia, porque ninguém dá o que não tem, nem no amor, nem na amizade, nem na arte".



Um livro que vale a pena ler.











Site oficial: http://www.capitanalatriste.com/


Nota: as expressões do autor foram retiradas do artigo sobre o mesmo publicado no JN de 16/04/2007.






"Lembre-se de que a força e a determinação são características marcantes do seu signo."

(de mim para mim...)

domingo, abril 15, 2007



Tristeza vai!
Deixa-me!!!

Porque não a escorraço eu?!
Porquê? Porquê???

Que ânsia de viver
Que vontade de me transferir
De me transformar
De acordar
amena
calma
serena

Eu não estou triste.
Eu não estou bem comigo, apenas...

Ausência
Solidão
Receios... tantos
Anseios

A fraqueza apodera-se de mim,
por momentos, terríveis momentos.
A angústia esgana-me, amarra-me e
não me deixa viver.

Quero soltar-me!
Como?!
Tudo me aperta com força.
Mal respiro.
Não tenho espaço.
Não tenho ar.

Quero seguir.
Seguir o meu caminho.
Reunir as minhas energias
e fugir daqui,
e vencer.


p.s.:detesto os fracos e a fraqueza.
p.s.II: odeio Domingos

sexta-feira, abril 13, 2007


HUMOR


Esta situação fez-me lembrar uma estória cómica, quase hilariante que a minha irmã me contou.
Num hipermercado, um casal fazia compras com um filho com cerca de 6 ou 7 anos. A certa altura, a mulher com grande à vontade e naturalidade (notou a minha irmã) pegou numa embalagem de preservativos e depois de confirmar com o marido que se tratava de uma escolha acertada colocou-os no carrinho de compras. A minha irmã viu naquela atitude uma naturalidade e uma ausência de tabus um pouco rara, tendo em conta que tudo se passara em frente do filho. Admirou-se, mas também admirou o casal e chegou mesmo a pensar que de facto a nossa sociedade estava a mudar e haveria cada vez mais gente a encarar a sexualidade com a naturalidade que lhe é devida. A senhora prosseguiu as suas compras e afastou-se deixando o marido junto do filho e do carrinho de compras. Foi aí que as ideias que a minha irmã havia antecipado se desvaneceram e só lhe faltou mesmo não conter umas boas gargalhadas.
O miúdo estranhou aquela compra e perguntou ao pai de que se tratava. O pai ficou visível e extremamente embaraçado e, não lhe poderia ter ocorrido pior resposta (digo eu) e, disse ao filho que se tratava de caramelos (tenho que rir, desculpem...rsrsrsrsrs). Ora, aí é que a criança se empolgou e interessou ainda mais (obviamente; qual a criança que não gosta de guloseimas?) pegava na embalagem e dizia "eu quero"; o pai tirava-lha e colocava-a de volta no carrinho "informando": "não são para ti" ( há pessoas com cada ideia!...). Claro que a criança não queria aceitar tal facto e começaria a ficar confusa, mas continuava curiosa e interessadíssima nos ditos caramelos e, voltava a pegar neles e o pai tirava-lhos num crescendo de embaraço e de irritação. Por esta altura já a minha irmã temia não ser capaz de conter as gargalhadas... caramelos!? que ideia!
O que fará a criança quando os encontrar em casa? porque ninguém duvida que os irá procurar!
E, mais importante: que confiança terá no pai quando um dia algum amigo ou professor lhe mostrar a utilidade e as vantagens dos ditos caramelos!?
Podemos rir, claro ( eu ri-me imenso com esta situação). Mas é de lamentar que as pessoas não saibam falar com os filhos, que vivam tantos tabus e que aparentam ( ou tenham mesmo) ter vergonha de gostar de sexo.


HUMOR




--------------------------------------------------------------------------------------


in Inimigo Público, suplemento do jornal Público, 13/04/2007




quarta-feira, abril 11, 2007


" É preciso tentar ser feliz, nem que seja para dar o exemplo"

Jacques Prevért (1900-1977), poeta francês

terça-feira, abril 10, 2007



CHOCOLATE...

Podemos deliciarnos com um pouco de chocolate, sem receio, de vez em quando. O seu principal ingrediente, o cacau, pode ser benéfico para o coração. As conclusões são de um estudo publicado em Proceedings of the National Acadey of Sciences, que mostra aue os antioxidantes presentes no cacau, os flavonóides, estimulam o organismo a produzir uma substância que relaxa os vasos sanguíneos e , portanto, facilita a circulação do sangue.

Para quem , como eu, adora chocolate, aqui está uma boa notícia.

Fonte: revista Saber Viver, nº82, Abril 2007

Foto retirada da net

segunda-feira, abril 09, 2007


Comigo me desavim,
sou posto em todo perigo;
não posso viver comigo
nem posso fugir de mim.



Sá de Miranda


foto retirada da net

sábado, abril 07, 2007


O desenho que o Pedro fez e quis ver editado:)




O Silêncio e um beijo

Silêncio…
Olhares tímidos
Sorrisos cúmplices
Opções
Decisões
Silêncio…silêncio…
Ideias simples
Vontades comuns
Receios e anseios
Silêncio…silêncio…
Desejos presumidos
Assumidos
… um beijo

foto retirada da net
Ausência



Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada,
aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.



Carlos Drummond de Andrade

imagem retirada da net
stormy insides1


CLARICE LISPECTOR


"então do ventre mesmo, como um estremecimento longínquo de terra que mal se soubesse ser sinal do terremoto, do útero, do coração contraído veio o tremor gigantesco duma forte dor abalada, do corpo todo o abalo - e em subtis caretas de rosto e de corpo afinal com a dificuldade de um pet´roleo rasgando a terra - veio afinal o grande choro seco, choro mudo sem som algum até para ela mesma, aquele que ela não havia adivinhado, aquele que não quisera jamais e não previra - sacudida como a árvore forte que é mais profundamente abalada que a árvore frágil - afinal rebentados canos e veias, então"

(excerto de Uma Aprendizagem ou O Livro dos Prazeres, Relógio d'Água, 1999 - Ficções)


Katrine Madsen- Supernatural Love

...a não perder

saber mais e ver vídeos aqui

sexta-feira, abril 06, 2007

Matosinhos em Jazz- 11º Festival Internacional


para saber mais clique na imagem

quinta-feira, abril 05, 2007






"Uma vida que não é examinada não é digna de ser vivida"

Sócrates (470 a.C. - 399 a.C.)





Irónico... e oportuno!

quarta-feira, abril 04, 2007

Quintas de Leitura - Teatro do Campo Alegre



Frederico Lourenço

O escritor, tradutor e ensaísta trouxe a homossexualidade para o centro da produção literária. Com naturalidade, porque só sabe falar de si.

"Assim ocupo um espaço onde não está mais ninguém."

Escreveu três romances agora aglutinados num só volume sob o título "Pode um desejo imenso", três narrativas ( mais ou menos ficcionadas), "A Máquina do Arcanjo", "Amar não Acaba" e " A Formosa Pintura do Mundo". Publicou este ano um livro de crónicas " Valsas Nobres e Sentimentais" e em 2008 haverá novo romance com novas personagens mas sob o mesmo tema. Traduziu do grego antigo a "Ilíada" e a "Odisseia" de Homero - com a versão deste poema ganhou o Prémio D.Dinis e adaptou-o ainda para jovens.(1)

Li todos os seus livros* com excepção de "A Máquina do Arcanjo" por desconhecer a sua existência e gostei imenso. Estou a ler "Valsas Nobres e Sentimentais" e estou também a gostar muito.

Aconselho vivamente este escritor.

*não li as suas traduções de Homero ( ...claro...)

(1) adaptado da reportagem de Torcato Sepúlveda publicada na revista NS de 31/3/2007

Fotografia de Augusto Brázio

O meu mais recente caderno de apontamentos





terça-feira, abril 03, 2007

Isto Só Visto - Ministra de Educação

Recebi esta notícia por mail e não posso deixar de a partilhar aqui.
"Caros amigos e colegas...
O motivo que me leva a enviar este email tem a ver com o facto de no passado fim de semana um colega meu, professor, ter abdicado do seu fim de semana familiar com uma criança e a mulher, para poder acompanhar um grupo de alunos que iriam participar no Corta Mato, inserido no Desporto Escolar em Sta Maria da Feira, onde a nossa cara e digníssima Sr.ª Ministra de Educação esteve presente com a sua comitiva. Quando esta senhora... se é que podemos designar de tal (desculpem o meu desabafo) se dignou proferir algumas palavras foi vaiada com um valente "hhhhhuuuu", por parte do público ali presente, constituído na sua grande maioria por alunos do ensino básico... Perante tal comportamento, a senhora teve a reacção mais admirável, pedagógica e sensata que algum adulto, pedagogo e acima de tudo uma pessoa bem formada e responsável poderia fazer: simplesmente desafiou-os dizendo que saberia fazer mais barulho que eles e pegando no seu enorme instrumento de trabalho (microfone) desatou aos berros, gritando uns valentes "hhhuuusss", referindo-se às crianças deste país que conseguiria gritar mais que elas... ISTO é a nossa EDUCAÇÃO! Gostaria que levassem este email em consideração e sem querer qualquer protagonismo... analisem o que vos conto e divulguem este email a quem de direito. A nossa política educativa não poderia estar em melhor mãos.... NÃO ACHAM?
Façamos algo de concreto... reflictam sobre o que se passa, comentem este vídeo, tal como a política educativa com os vossos amigos, amigos dos amigos, pessoas que estejam em posição de analisar o que sucede no nosso ensino.
O meu obrigado pelo que venham a fazer!
R da B"

Podem visualizar o vídeo no post seguinte ou através do link do texto.
Não percam!!!

segunda-feira, abril 02, 2007



Dia Internacional do Livro Infantil

Tornar os nossos pequenos em grandes leitores, porque ler é bom, porque ler é importante, porque “quem gosta de ler, nunca está sozinho”.

Alguns livros de que os meus filhos gostam :